27 de novembro de 2007

das idioten XLVII

Diziam-me que trabalhar transformava as pessoas. Que se via tudo por outro prisma. As prioridades mudavam. Não pensem que a seguir vou dizer que já sinto a transformação. Nada disso. Mas estou mais atento às oportunidades. E elas mesmo aí debaixo do nosso nariz. Descobri que quero montar uma empresa de reboques. Basta uma cunhazita com o Rio e ganho a vida num ápice. A avaliar pela quantidade de carros rebocados à frente do meu posto de trabalho deve dar bom dinheiro. Carros de gente que trabalha e não tem mesmo onde os parar. E tambem não estorvam. Mas isso deve ser pormenor...

12 comentários:

rps disse...

É assim na generalidade das cidades. Em Porrugal e noutros países. E parece-me bem.

jorge c. disse...

Estou com o RPS, obviamente. O Granel não tem a minima noção. Vive num mundo á parte.
Já agora, trabalha há dois dias e já está cheio de conceitos???
AHHAHAHAHAHAAH!
É melhor pedir férias que já deve estar cansado.
Entretanto os seus amigos continuam a votar em mim - o que eu agradeço - mas responder à letra e entrar na discussãao, népia. O voto secreto dá cada vez mais jeito!
Eu estou aqui, meus senhores! Quantos são? Quantos são?

Mofina Mendes disse...

Desejo-lhe as melhoras!

lu disse...

Este senhor é um burguês que para andar 500 metros se serve do seu carro.
O problema é que não é só o caro Granel que é um burguês. São tantos outros.

Vou-lhe dizer uma coisa, que me vai agradecer: sabe o que são transportes públicos? Pois é!
Autocarros, metros, taxis...
Outra forma de deslocação é andar a pé, ou até de bicicleta...
Todos estes meios de transporte servem essencialmente para trazer menos carros para o centro da cidade.
Menos carros, menos tráfico, menos caos, menos multas, e até menos poluição!
Boa, não é Granel?

GRaNel disse...

Já é suficientemente penoso ter de trabalhar. Juntar a esse facto andar te transportes colectivosparece-me desumano. Quanto aos táxis, nao são tão baratos quant isso...

Mas fica sempre bem dizer mal.

Mais, parece-me que nao perceberam que o que relato não se passa comigo. Como já o disse, mesmo que nao concorde, cumpro a lei. Assim, é ver-me 20/25 minutos às voltas para depois enfiar o meu umquatrosete num parque... Percebem? Foi o meu altruismo a falar mais alto.

sanchita disse...

Estou c o Granel!E nunca fui multada, nem tive o carro rebocado!
Andar de táxi é um luxo!
Andar de autocarro é para chegar atrasado e doente!
E o metro só funciona em algumas zonas!!!
Tendo em conta o preço dos combustíveis, dos estacionamentos e as alternativas (ou falta delas) é mesmo um abuso...

jorge c. disse...

O Granel mora a 5 minutos do metro e trabalha no centro da cidade. Além de morar a 2 minutos da rotunda da Boavista.
Só os 5€ que gasta diariamente em gasolina por dar tantas voltas davam para pagar o táxi. São desculpas.
Espero que a vida nunca lhe corra mal, porque senão está tramado.

GRaNel disse...

Esclarecimento a algumas mentes menos esclarecidas que por aqui andam. É verdade que moro a 2 minutos do metro mas a cada Estação que avanço fico mais longe da empresa. E a pé demoro 30 minutos. De táxi, não se esqueçam que tenho de ir e vir. Ou seja, 5 x 2 = 10. E para mais, o meu carro não gasta 5 litros às voltinhas. Não ando de Porsche.

Anónimo disse...

santa paciencia

Tens o 20 (ou antigo 20) que apanhas a 100 m de tua casa e te deixa a 100 m do trabalho.
Faz um percurso rápido.
R. N. Sra. de Fátima, Rotunda, R. Julio Dinis.
És um burguês, é o que és.

Luisa

GRaNel disse...

Claro claro. Todos nós sabemos que a Nossa Senhora de Fátima, a Rotunda e a Julio Dinis não têm trânsito... no comments

sanchita disse...

Sendo assim não tem grande desculpa...vá a pé! É perto e bom caminho! :)

filinto disse...

Trinta minutos my ass diria uma senhora muito gorda. 15 a 20 minutos tops.