29 de outubro de 2007

SJ e o burro de S. Mamede

Ele chama-lhe a campónia parola de pescoço largo. Porque é meu amigo e os amigos perdoam as blasfémias uns aos outros, vou mantê-lo no anonimato salvando-o de um mais que provavel linchamento. Não posso no entanto deixar de lhe chamar burro. A foto fala por si

6 comentários:

jorge c. disse...

Não sei quem é o seu amigo, mas deve ser bom rapaz. Pelo menos não tem mau gosto.
Esta bimba está na mesma linha da Marisa Cruz, tem ar de sopeira.
Não vejo sequer qualquer atributo. Certamente que o Granel, na sua futilidade habitual, deve achar que ela dava uma boa foda. Não posso duvidar porque desconheço.
O que sei é que a beleza feminina não se vê pelo facto de as senhoras darem ou não boas fodas (uso o palavrão que é para o Granel perceber, pedindo por isso desculpa aos outro 4 visitantes deste blogue).
Isto é algo que nem com a idade se aprende. Basicamente, perdeu o comboio da estética e a viagem era só de ida!

jg disse...

Corroboro em absoluto a afirmação de JORGE C. que refere a Marisa Cruz, como sopeira.
É a primeira pessoa com quem partilho a mesma opinião por inteiro.
E por favor, Granel, não ponhas no mesmo saco esta gaja e a Eva Longoria.

filinto disse...

Costumava pensar como o teu amigo de S. Mamede. Achava-a insoça. Tudo mudou quando vi os filmes com o Woody Allen, nomeadamente o primeiro, Matchpoint.

jorge c. disse...

Vocês é gosto nas gajas e nos filmes!
JG, já não se fazem assim da nossa massa. Eles agora só comem frangos do aviário (como dizia o outro) e depois são uns molengas. Casam-se, elas depois ficam feias e depois vêm-se lamentar. Ah e tal, mestre Jorge tinha toda a razão! Ora pois claro que tinha!

GRaNel disse...

JG, too close to call. Mas mesmo ficando na dúvida acho que escolhia a SJ. A miúda é linda de morrer. Pena que nem todos o consigam ver. Mas enfim. Os resultados práticos notam-se depois...

Solapinoeufaçoumarevolução disse...

Salvo o devido respeito, vós estarem cegos ou quê, caralho?
Quais Eva Longoria e quais Marisa Cruz.
A objectificar a mulher, objectifiquemos com estima.

A escarlete é mel.