8 de setembro de 2007

das idioten XXII - ASAE

Muito se tem escrito sobre a ASAE. Nos blogs. Na imprensa de papel. Na televisão. Já defendi a sua actuação. Já os ataquei, - julgo que não aqui neste espaço mas quem me ouve falar sabe que os acho menininhos de bata branca retirados do frasquinho que vêem num cabelo uma ameaça à sobrevivência do povo terráqueo. Sabe tambem quem me conhece que acima de qualquer lei ou regulamento está o bom senso. Defendo, como já defendi, que fechem um matadouro onde a carne é desmanchada numa sala com temperaturas a rondar os 37º e tem pássaros a voar lá dentro. Defendo que as discotecas e bares, já para não falar das rádios, devem usar faixas compradas. Que restaurantes e bares que transformem comida devem ter higiene e a conservação dos alimentos devem ser cuidada. Podia enunciar mais um sem número de situações em que defendo a intervenção e fiscalização por parte da ASAE. Mas como o disse, isto é puro bom senso. Não preciso que mo digam ou que venha escrito num qualquer código. Mas bom senso não foi igualmente distribuido, - dEUS devia estar distraído nesse dia. Vivemos num país em que bem antes de pensarmos tirar partido do IRS, com planos de poupança, descontos de saúde, compra de material informático entre outros, pensamos em como fugir. O clima de desconfiança que tal atitude gera na máquina Estado leva a que a presunção de inocência seja pura ficção. O Estado deixou de ver um contribuinte e passou a ver um infractor. Isto levou-o a agir de má fé.
Tudo isto para dizer que os meninhos com t-shirt e sapatilha da ASAE me privaram hoje de gozar a minha noite. Com uma prepotência atroz fecharam o espaço onde estava e durante uma hora esgravataram tudo. Fizeram-no no horário de maior afluxo. Conseguiram fazer uma "porta" nunca antes vista... deixaram centenas de pessoas do lado de fora da discoteca só porque suas excelências queriam dar uma de herois. Quis o destino que saíssem de rabinho entre as pernas e cabisbaixos. Tinham falhado. A grande operação que esperavam, a manchete que imaginaram nas páginas dos jornais de amanhã e as felicitações dos superiores vão ter de esperar. Tempo de zarpar. Para trás deixaram a confusão, uma hora de facturação que voou e uma má imagem. Agem com a irresponsabilidade de um miúdo... ficassem ao menos sem televisão por uma semana. O acto de fiscalização não se deve sobrepôr à actividade licita de quem com todo o direito quer trabalhar.
Mas o que me causa ainda mais espécie em toda esta trama da ASAE é o porquê de só investigarem quem quer cumprir, paga os seus impostos e tem as contas em dia. Porque não fiscalizam os que andam completamente à margem? Porque não os botecos que nem nome comercial têm? Porque não acabam com as inúmeras casas de meninas ilegais que por aí abundam? Porque dá trabalho, - os relatórios são extensos. Porque dá chatice, - nunca sabem quem encontram lá dentro e têm medo. Porque pode não resultar em lucro, - nos sitios legais e donos com número de BI o dinheiro é sempre certo ou fecham-lhe a casa. Isto é hipocrisia e duas leis para um mesmo país. O Sol quand nasce é para todos. Tambem a ASAE devia ser....

2 comentários:

filinto disse...

Aqui no Porto também andaram a atacar e, parece, também, nos sítios errados.

marta disse...

No Porto fartaram-se de fechar sítios