5 de julho de 2007

das idioten III

A ASAE fechou o único matadouro do Algarve. As anomalias encontradas encontram-se sintetizadas na lista abaixo:

- sala de desmanche não climatizada (chega a atingir 38ª C);
- linhas de abate oxidadas;
- abastecimento de água de um furo com qualidade não registada;
- paredes sujas;
- teias de aranha;
- pássaros dentro das instalações (favorece as contaminações cruzadas).

Perante tais acusações e o fecho do matadouro, Jorge Cavallieri, presidente do Conselho de da Administração do Matadouro, não conseguiu dizer nada melhor que: - o fecho do matadouro implica o despedimento de 42 trabalhadores. Este mentecapto não se preocupou com a saúde pública durante anos, deixou algo tão importante como a carne que comemos (mesmo que seja só em Agosto) votada à sorte e agora vem com a de coitadinhos, vamos ficar sem empregos? Compreendo o drama dos funcionários que de um momento para o outro se vêm privados do seu rendimento mas pessoas como o senhor Cavallieri nestas situações, só podem seguir um caminho. O da porta de saída, bem caladinhos.

2 comentários:

otília disse...

E ainda queres ir de férias para o Algarve??? Vê se te ficas pelo “peixinho”…pelo sim, pelo não…

Estes Senhores e outros similares, estes sim, deveriam ser alvo de procedimento judicial e inquéritos criminais sérios…

É inadmissível que com uma Alta Autoridade Para a Saúde Alimentar (não sei como se denomina actualmente)– imposição da, na altura, CEE- em funcionamento pleno há mais de 10 anos, ainda se tenha noticias “hoje” de situações tão escabrosamente vergonhosas, e acima de tudo lesivas daquilo a que vulgarmente chamam saúde pública - acho que os Senhores desconhecem o conceito.

filinto disse...

Peixinho de Peniche é o que aconselho, ainda por cima uma terra muito melhor frequentada que o Algarve (com a excepção de Cacela e Vau). Claro que a seguir pode vir a Helena denunciar o peixe de Peniche, mas prontES, é um risco.