10 de dezembro de 2007

Mais uma variável

Sempre tive algum cuidado ao comprar. Sempre valorizei a razão preço/qualidade. Sempre desvalorizei o preço em absoluto até porque prefiro pouco bom a muito e mau. E vivia feliz. Até que surge um novo dado. Quantos dias tenho de trabalhar para adquirir determinado bem. E acreditem, ao preço que as coisas estão e ao que ganho, até o preço de uma cerveja me deixa de mau humor...

19 comentários:

Mofina Mendes disse...

Suspeito que trabalho faz com tudo fique mais caro. Por isso, para ter tudo à borla, a táctica é não fazer nada!

GRaNel disse...

Não sou tão naïf assim Mofina mas que era tudo bem mais fácil de pagar era. O valor absoluto continua a ser o mesmo mas o relativo aumentou exponencialmente.

Otília disse...

Ora deixa ver, nunca fui muito boa em contas...Mas uma camisolinha das tuas...ora...deixa ver... 1+1 = (...)...
É acho que vais ter que trabalhar um número de dias significativo...

Boa sorte para amanhã que tudo corra bem!!!

Beijinho grande

jorge c. disse...

A Otilia já acendeu o rastilho. Mas eu continuo.
Este post além de ser vergonhosamente vigarista - porque quem conhece o personagem sabe que a atitude é contrária ao que é dito - só prova que este marmanjo viveu até hoje num mundo de fantasia. E depois eu é que sou o teórico.

Dalaila disse...

Eu como não conheço, digo....
... bebe duas, ou três que o mau humor poderá passar....

o melhor mesmo é esquecer.

Rogério Oliveira disse...

Se ficas de mau humor com o preço da cerveja, nem quero ver qd fores para comprar uma garrafinha de Stoli ou Moscovskaya???

filinto disse...

Ainda vais dizer aquela piada que perdeu a graça do salário que não chega ao fim do mês. Sempre queres a ficha do sindicato?

Otília disse...

Ui, Filinto....essa deve ter doído, directa ao estômago, e de punho fechado....
Beijinhos

Anónimo disse...

Eu ofereço a cerveja...em troca do teu bom humor!!! Bj

Anónimo disse...

Ficar de mau humor é não conseguir reserva (em 2008!!)no "elBulli" e não poder degustar a cozinha de Ferran Adrià.

Otília disse...

Pois, por estas e por outras que tudo é relativo... ainda queres convencer alguem ...???)acho que tens razão Jorge) Talvez em 2009 (se ainda existir) consigam ir provar a "comidinha do Senhor...pelo sim, pelo não, tratem de fazer as reservas...

Beijinhos

GRaNel disse...

Um amigo dono de um, tambem bom, restaurante convidou-me para uma visita ao ElBulli. Sou dos que só acredita vendo mas que tenho pensado na ideia isso tenho. Já sei que perco o amor a um ou dois salários mas que se lixe. Como dizem os meninos da Mastercard, priceless

Anónimo disse...

Lá está a essência da coisa...
Pensa assim, com as cervejas que vais beber à borla, não tarda nada, já correste todos os melhores restaurantes do mundo e sem te preocupares com o aumento exponencial do valor relativo...ou absoluto...geralmente é assim com o que consideramos "priceless"!!!

Beijinho

Otília disse...

(desculpa, não assinei o anónimo sou eu, já deve ser influência...)

jorge c. disse...

Isto é inacreditável, a sério!
Agora vou mesmo falar a sério. Eu tinha vergonha e borrava a minha cara de merda se algum dia tal falta de bom senso me assolasse o espirito. Parece que o dinheiro lava a moral por esses lados. Mais uma vez, são mentalidades.

Anónimo disse...

Jorge C, com o devido respeito de quem não te conheçe. Mas "borrava a minha cara de merda", não te parece um pouco agressivo?! Aqui, sem dúvida uma questão de mentalidades...!

Anónimo disse...

E para rematar, quando uma personalidade é forte e vincada pelos bons princípios da ética, não me parece que o dinheiro lava a moral. E também não há lugar a “influências”. Bjs

Anónimo disse...

por essas e por outras é que resolvi cortar relações com os números!
Carla

filinto disse...

Eu gostava de ir aqueles sítios dos anúncios da Mastercard. Ai se gustava!