8 de novembro de 2007

Pragmatismo Português

Quis o calendário que o feriado de 1 de Dezembro calhasse a um sábado. Que se lixe!!! Convoca-se uma greve para o dia 30 de Novembro e conseguimos um fim de semana prolongado. Para o ano fica tambem já convocada a greve. Dia 28 de Novembro. É que com feriado (1 de Dezembro) na segunda vai ser um fartote...

11 comentários:

Dalaila disse...

estás eleito para as frentes sindicais.

jorge c. disse...

Granel e as suas preocupações sociais. Até fico comovido.

jorge c. disse...

O Mangueirinha, aliás.

GRaNel disse...

O burro não percebeu que isto era uma critica aos sindicatos. Continue a ler essas merdas que lê e vai ver onde vai parar. Muita poesia, muita poesia e não sabe interpretar duas frases simples.

jorge c. disse...

Eu imbecil qualificado,
mesmo que seja uma crítica aos sindicatos a sua preocupação não deixa de ser uma preocupação social. Ou quer que lhe explique qual é a abrangência de uma questão social. V. é-me cá um politiqueiro de trzazer por casa...
A sua ignorância fá-lo também dizer disparates do ponto de vista cultural. A poesia foi, em toda a sua história, uma arma de confronto. E é por existir em mim sensibilidade para a compreender que também assim a entendo.
O Granel, por outro lado prefere o - e agora falo ao seu estilo - um bom par de mamas e uma foda.
Típico dos parolos e grunhos da província.

jorge c. disse...

Leia-se «seu imbecil qualificado». Nestas coisas não se pode falhar porque rato de esgoto como é aproveita todos os buracos.

GRaNel disse...

Não há aqui nenhuma preocupação social. Há uma critica aberta. Compreendo que seja lento, (tão) burro e cego é que desconhecia.

jorge c. disse...

Granel,
eu prometi que não perdia mais tempo a dar-lhe aulas de português. Acho caricato você achar que os outros são burros quando você é que não entende o significado daquilo que diz.
Tudo o que são questão que têm que ver com a sociedade, a sua forma, a sua evolução, as suas estruturas de base são questões sociais.
Quando o Granel fala em sindicatos, patrões ou trabalhadores está a falar de uma questão que implica um a problemática social. A isto se chama política. A política é toda a estrutura social, económica e cultural da sociedade. Na estrutura social e económica contamos com agentes dinamizadores de cada sector. neste caso os trabalhadores que se organizam em sindicatos. Por isso quando falamos nestes termos e apontamos uma crítica estamos a manifestar as nossas preocupações sociais.
Política, Granel, não é andar de bandeirinha na mão aos gritinhos a pensar qual é a melhor posição para aparecer nas fotografias.
Continue a falar no cãozinho e nas tainadas e nas pêgas que gostava «de foder» (usando as suas expressões riquissimas) porque neste campeonato você é o pior jogador.

GRaNel disse...

Quer discutir semântica discuta. É esse o grande problema dos teóricos. Discutem muito mas não fazem obra...

jorge c. disse...

Este é o parágrafo principal do meu comentário. Quer ir procurar no dicionário o significado de semântica? No dia em que o Granel tiver feito tanto pela sua comunidade como eu fiz pela minha conversamos e vemos quem é o teórico. (festinhas de aldeia e joguinhos não contam, porque aí também tenho em Vila Franca e Campo Maior.)

«Quando o Granel fala em sindicatos, patrões ou trabalhadores está a falar de uma questão que implica uma problemática social. A isto se chama política. A política é toda a estrutura social, económica e cultural da sociedade. Na estrutura social e económica contamos com agentes dinamizadores de cada sector. neste caso os trabalhadores que se organizam em sindicatos. Por isso quando falamos nestes termos e apontamos uma crítica estamos a manifestar as nossas preocupações sociais.»

GRaNel disse...

Tinha de descambar a conversa. Tinham de vir os animais de cornos. E as terreolas do menino. Que giro. Tou tão comovido que até lhe vou perdoar a sua inaptidão para reconhecer uma critica e querer impingir uma problemática social.

Não se pode fazer um post na brincadeira que vem logo um ortodoxo da ciência politica com as suas teorias. Não sabia que beber umas jolas em casas de má fama era serviço à comunidade mas vou experimentar.