9 de setembro de 2007

Vale(u) a pena a visita...

Depois de uma noite agitada como a de ontem e de uma tardada fantástica de praia, o que apetecia mesmo era ficar em casa e fazer uma patuscada. Não havia nada em casa para fazer e também não me imaginava nada que verdadeiramente me apetecesse comer. Aceitei o convite dos meus pais e fui com eles até ao Mercado do Peixe da Costa Nova. Para quem não conhece, é um mercadinho pequeno, com umas 16 bancas onde se encontra quase todo o tipo de peixe que o mar aqui da zona dá. Divididas entre os peixes e os mariscos, expõem o melhor que o mar lhes deu na faina da madrugada passada. A oferta, vai por isso variando de dia para dia. Contudo, robalo e dourada de aquicultura são sempre certos, assim como os importados (red-fish e polvo) e os tradicionais carapau e sardinha. Nas bancas de marisco dá sempre para comprar o camarão da costa, fantástico, ou os maiorzinhos. Até o Eusébio tem sorte, - tremoços, amendoins e pevides nunca faltam. Não sou fã de camarão, tirando obviamente o da costa e por isso para pouco tempo à frente de tais bancas. Mas hoje, numa senhora que conheço por me vender o tal camarão, pasmei a olhar para umas lapas que lá estavam. Segundo a mesma, tinham acabado de chegar, - uma coisa é certa, ainda se mexiam. Não hesitei e trouxe um quilo para provar. No embalo, comprei também uns choquinhos e telefonei à rapaziada. Como há esquisitinhos lá pelo meio, tive de pedir para me tirarem a tinta dos chocos. E assim foi, em vez de jantar optámos por um lanche alargado. Fomos comendo, conversando e bebendo umas minis. No fim, ainda houve espaço para uma picanha. Desenjoámos com gelado e digerimos tudo sentados à mesa a jogar uma cartada.

(Aqueci as lapas na chapa, com molho de manteiga com muito alho. Servi-as com muito sumo de limão. Os chocos foram grelhados na chapa e cobertos de molho verde)

Agora, é hora de deitar. Amanhã há Fórmula 1.

2 comentários:

Funes, o memorioso disse...

Sinceramente, ir a um mercado de peixe é um castigo a que eu ponderaria submeter-me, se tivesse morto o meu pai à machadada e serrado a minha mãe a meio com uma moto-serra.

Quadrado.14 disse...

Divinal e muito recomendável