15 de agosto de 2007

Feriado em Pedronhe

O desafio era pegar na trouxa e ir passar dois a Pedronhe, uma aldeiazinha em pleno Caramulo, já no lado Oeste da Serra. Com malta porreira e com um cozinheiro de mão cheia pelo meio era irrecusável. Hit the road. Uma viagem tranquila pela A25 e meia dúzia de Kms à Colin McRae (há um cotovelo que é delicioso – primeira puxadinha e é vê-lo deslizar pelo asfalto). A casa (1, 2, 3 e 4), isolada de tudo o que lembre a civilização era fantástica e preserva ainda traços originais. Dar uma voltinha para ambientar e começar a assentar arraiais.

Preocupação primeira à chegada, colocar as mines no frio. Preocupação segunda, preparar a paparoca. Por entre, felizmente era só um, Benfiquistas sofredores (5) lá fizemos a janta. É evidente que uns (5 e 6) ajudaram mais que outros (8, 9 e 10) mas o importante era mesmo comer.

Honra seja feita ao Pedro (7), estava tudo fantástico. Fica bem patente nas fotos. Das amêijoas of the fighting duck (11 e 12) à manteiga de coentros (13), passando pela saladinha com alcaparras e balsâmico (14), pelos naan’s (15) ou pelos carppaccios (16), todos acompanhados com pão rústico. Da Grécia vieram ainda o molho de batata e colorau e as almôndegas (17) (acreditem que estas são boas – fizeram-me mesmo esquecer a cantina do ciclo). Era suposto ainda comer uma pasta, que seria o prato principal, mas os estômagos já estavam cheios. As mines começavam a fazer estragos e a impor a sua lei. Antes se beba que se coma.

Depois foi a cavaqueira do costume. As conversas de quem, por força da vida que levamos (obviamente, mais eles que eu) há muito não se vê. Fomos falando e entrámos na cartada. Do piorio, nunca vi um jogo com tanto caos, introduzido pelo Pedro e levado ao extremo pelo Lé. Até às 8. Sim, estes otários, eu incluído, estiveram até às 8 a conversar e a bater cartas. Quanta insanidade.

Hoje acordámos cedo e almoçámos outra vez lindamente. Agora vamos arrumar a trouxa e zarpar para a cidade. Amanhã há quem trabalhe…

8 comentários:

Mofina Mendes disse...

Trabalhar? Credo... Espero que o Granel não cometa tal loucura! Agora é que o Verão vai começar.

Quadrado.14 disse...

Foram, sem dúvida, momentos que contribuiram para a colecção do ficheiro VERÃO2007.MEM

Flávio Lé disse...

Isto existe gente para tudo... primeiro a origem do pão "naan's" é egípcia e não grega... depois claro que o 5 (devido ao seu quase ataque por estar a ver o benfica a jogar maravilhosamente mal..." não teve condições de trabalhar e o 6 que nasceu trabalhador nato não poderiam contribuir para o bem da comunidade e o trabalho teve de ser realizado pelos habituais... mas pronto foram umas horas bem passadas.

Quadrado.14 disse...

EGIPCIA?!?!? Não há mais vinho para esta mesa! É INDIANO

Flávio Lé disse...

Peço desculpa pelo lapso, mas infelizmente com amigos que nos enganam (estilo o Pedro que me mentiu e me fez fazer figura de urso) não vamos a lado nenhum... afinal o pão é Indiano...

dass disse...

Não se tratam nada mal, não senhor! Já nem me lembro da última noitada de cartas, mas acho que o vício continua cá!

GRaNel disse...

Ei... eu trabalhei que nem um Mouro. Não me venham agora com essa de que ai e tal. Ai e tal não... eu trabalhei. Quem é que pôs as mines no frio?

Flávio Lé disse...

OK. Tarefa de extrema importância, mas parece-me que te estás a esquecer que quem as foi buscar (digamos 99,999999% das vezes) não foste tu… e mesmo assim para a por no frio tiveste ajuda… ah pois é.